NO CAMINHO PARA MONTENEGRO

Se eu parar pra pensar retomar o dia ainda não saberia responder porque estou aqui. É incrível o numero de pessoas que passam pela minha cabeça no caminho. Mas tenho 10 contatos salvos no celular e apenas dois são daqui. O que me salva. Sou capaz de te convidar pra passar o dia em qualquer outro lugar. Um lugar desconhecido. Se eu soubesse seu numero. O que me apavora é imaginar o encontro. Você vai dar falta. Eu vou dar falta. E nós não sabemos preencher. Ainda que soubéssemos que não precisamos. Precisaríamos. Obedeceríamos a lei daqueles que são feitos pelo desejo. Para o desejo. Já não sei em quem penso enquanto escrevo. Não, não é em mim. Até quando falo me imagino contanto pra outro. As vezes, você. Ontem olhei atenta a luz do poste que fica na frente da minha janela. A calha do vizinho pingava. Pensei que chovia. Se tivesse chovido talvez não estaria aqui. Mas se a tua cara não sai da minha cabeça deve ser por isso que hoje eu levantei sem saber que chego aí em 20min.

registros do cotidiano

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store